Ministério Da Família Peniel Em Piedade

Ministério Da Família Peniel Em Piedade



Ministério Da Família Peniel Em Piedade
Curso de Liderança
sexta 19:30 17.08.2012
Igreja Batista Nacional Peniel em Piedade
Rua Teixeira de Pinho 130 - Piedade
Tel: 21- 8113-4503
am.vega@bol.com.br
Procurar Alexandre e Ana Batista Peniel
Apoio: Ministerio de Casais Amovc
Coordenadores
Pr. Zaqueu Medeiros & Pra. Marlene Medeiros

TEMA: CUIDE BEM DE SI MESMO PARA TER UM CASAMENTO BEM CUIDADO



  TEMA:CUIDE BEM DE SI MESMO PARA TER UM CASAMENTO BEM CUIDADO


Algumas pessoas carregam tristezas, complexos e traumas por muito tempo. Na maioria dos casos, esses sentimentos tiveram início lá atrás na infância e adolescência, na família d
e origem.

Como não encaram esses sentimentos nem os resolvem, apenas fingem que não precisam de cura interior, acabam fazendo da fase de solteira (o) um período triste, recalcado e sem graça vivendo em desespero e em função do dia que vão arranjar alguém e finalmente se casar.

Não é fácil estar solteira (o) mas também não é o fim do mundo. Viver se sentindo um lixo apenas porque ainda não encontrou alguém é a coisa mais deprimente que existe e ninguém quer uma pessoa assim desesperada, nem mesmo você, não é mesmo?

Pesquisas indicam que pessoas que são felizes solteiras têm mais chance de serem felizes num relacionamento.

Isso é bem óbvio, afinal casamento não muda uma pessoa. Quando se casa leva consigo quem é de verdade e se não era uma pessoa feliz e realizadora, é exatamente isso que terá para oferecer num casamento.

Mas as pessoas ficam fantasiando que quando casarem serão felizes porque aí terão uma pessoa e não serão mais solitárias, porém esquecem que o papel do outro não é me fazer feliz e satisfazer, tapar meus buracos e satisfazer minhas carências que eu carreguei para dentro do meu casamento.

Ainda que uma pessoa me ame e seja companheira, é pesado demais jogar sobre ela a obrigação e a responsabilidade de fazer aquilo que nem eu mesma consegui fazer por mim: me dar felicidade e realização.

Relacionamento é um completando o outro não um carregando o outro. Nosso papel é dar amor e companheirismo não ser um peso, uma cobrança, a exigência e acusação em pessoa.

O que acontece em relacionamentos baseados nesses tipos de comportamentos é que não sobrevivem a nenhum problema que dirá uma tempestade.

Ficam um acusando o outro e nenhum assume de verdade sua participação na tragédia que virou o casamento. Por mais que o outro erre isso NUNCA muda ou diminui meus erros e reconhecer, ainda quê seja apenas eu, já é um princípio de cura, porque como parte do relacionamento e uma só carne eu também tenho minhas responsabilidades e não justifica ignorar, fazer-se de desentendida (o) porque isso não engana a Deus, nem muda de verdade a situação.

Por isso, faça uma análise da sua vida. Talvez você saiba de cor e salteado os erros do seu cônjuge mas nem sequer parou para ver os seus erros e as suas atitudes negativas.

Deus só deu uma vida para cada um, não é mesmo? Porque será? Para que cada um cuide da sua.

Mas, quando casamos acabamos esquecendo que ainda que sejamos uma só carne cada um responde por suas escolhas e não adiante culpar o outro, Diante Deus responderemos por nossas atitudes e não poderemos falar: AH! DEUS! EU SÓ SAI DE CASA POR CAUSA DELE, EU DISSE ISSO PORQUE ELA ME DEIXOU NERVOSA, EU GRITEI MAS ELA TAMBÉM ESTAVA GRITANDO, etc.

Muitas pessoas estão sozinhas porque diante das opções fizeram a pior escolha. Podiam escolher ficar em casa e resolver o problema mas preferiram sair. Podiam ter tido mais paciência e tolerância, serem mulheres sábias mas preferiram se loucas e machucar toda a família.

Existem muitas situações criadas por satanás para destruir nosso casamento e nossa família. Para isso devemos orar, jejuar e estar debaixo da cobertura da igreja.

Existem também situações provocadas por nós mesmos. A Bíblia fala que aquilo que o homem plantar isso vai colher. Então pelos frutos você verá o que plantou porque a palavra de Deus não mente.

Seus filhos não te agüentam? Preferem ficar isolados ao estar em sua companhia? Seu marido não te suporta ou sua esposa nem pode ouvir a sua voz?

Você pode culpar todos eles e se fazer de marte dizendo que é a melhor mãe ou pai do mundo e ninguém te compreende. Mas se for inteligente e tiver coragem vai olhar para dentro de si e começar uma mudança que alcançará todos a sua volta e com certeza seus relacionamentos serão frutíferos, abençoados e firmados na rocha que é Jesus.

SE VOCÊ ESTÁ NA ROCHA NADA PODERÁ TE TIRAR DE LÁ, MAS SENÃO ESTÁ TUDO A SUA VOLTA PODERÁ SER ABALADO.
TEMA: Para refetir... Parte 1

TEMA: Para refetir... Parte 1



Para refetir... Parte 1


Tema A visão de Deus diante de um casamento infeliz

Fonte: Sepal - David Kornfield é missionário da Sepal

O número de casamentos infelizes está crescendo. O número de divórcios reflete isso. Nos Estados Unidos, pesquisadores, como Barna, indicam que a porcentagem de divórcios entre os que se chamam evangélicos é igual a da população de forma geral. Uma pesquisa Gallup indicou que 10% dos protestantes e 10% dos católicos são divorciados e que 26% dos protestantes e 23% dos católicos já foram divorciados em algum momento. Mais de um milhão de crianças, nos Estados Unidos, sofrem o divórcio de seus pais a cada ano e mais de 50% das que nascerão este ano experimentarão o divórcio de seus pais antes de completarem 18 anos. (Veja o Relatório Executivo ao final deste artigo.)Será que o Brasil seguirá esse rumo? Será que as igrejas evangélicas andarão nesse caminho? Afirmamos categoricamente que Deus ama os divorciados, que a igreja deve ser um lugar seguro para eles, oferecer esperança e um contexto apropriado para restaurar suas vidas. Ao mesmo tempo, se a igreja reflete a sociedade de forma geral quanto ao número de seus membros que procuram o divórcio, temos que admitir que o evangelho perdeu seu poder. A igreja precisa ser um lugar seguro não apenas para divorciados, mas também para os que acreditam no casamento e estão dispostos a lutar por um casamento saudável.Por que o casamento é tão importante para Deus? Por que Ele insiste “que o que Deus uniu, ninguém separe” (Mt 19.6)? Os propósitos de Deus para o casamento incluem:Revelar a imagem e semelhança d’Ele e os Seus propósitos em nos criar, abrindo um espaço para experimentarmos a comunhão que Ele tem na Trindade (Gn 1.26, 27).Resolver a solidão que aflige o homem desde antes da queda (Gn 2.18).


Dar a cada pessoa a oportunidade de formar uma nova família, principalmente para aquele cuja família de origem era disfuncional (Gn 2.24; Mt 19.5, 6; Ef 5.31).Celebrar, no ato sexual, uma intimidade não apenas física, mas emocional e espiritual. Deus faz questão que esse ato expresse verdadeiro amor, pureza e aliança (pacto), reservando-o, por essa razão, para o casamento (Gn 2.24).Dar-nos alguém com quem podemos ser transparentes, autênticos, sem experimentar vergonha (Gn 2.25). O desejo d’Ele é que possamos amar e ser amados sem medo, porque o verdadeiro amor expulsa o medo (1 Jo 4.18).Revelar a grandeza do amor de Cristo por nós como sua Noiva, a Igreja (Ef 5.22-32). A história, de Gênesis a Apocalipse, enfatiza o amor de Jesus por sua Noiva e nós recebemos o privilégio de ser um espelho desse amor. Sua aliança, Sua fidelidade e Seus propósitos eternos revelam-se no casamento. Dessa forma, não devemos ficar surpresos ao saber que Satanás empenha todos os seus esforços para acabar com casamentos saudáveis, prejudicando a muitos, tornando essa união numa relação intensamente infeliz para muitas pessoas. Se Deus, por Sua vez, não fizesse um compromisso de aliança conosco no casamento, não teríamos chances de nos aproximar dos Seus propósitos eternos. Um casamento saudável é realmente glorioso! E um infeliz, pode tornar-se num inferno, destruindo não apenas o casal, mas a família, e espalhando essa herança negativa às gerações seguintes.



A Bíblia traduz o coração d’Ele nesse sentido em quatro passagens, com os seguintes temas:Mal 2.10, 13-17 – Deus odeia o divórcio e a violência.Mt 19.3-12 – Não devemos nos divorciar a não ser no caso de adultério.1 Co 7.1-17 – Bases bíblicas para o divórcio e novo casamento da parte dos crentes.1 Pe 3.1-9 – Como tratar um cônjuge descrente. Quando peço que pessoas infelizes leiam esses textos para ouvir a Deus sobre sua situação, muitas simplesmente desprezam a perspectiva bíblica e continuam focalizando a sua dor, seu sofrimento, sua infelicidade.O mundo, a carne e o diabo juntam-se para nos convencer de que nossa felicidade é o que deve nortear nossas vidas. Esta crença, e os espíritos atrás dela, enganam o mundo e querem enganar os santos. A teoria do humanismo exalta o ser humano como um deus, ele é o mais importante. O espírito do individualismo exalta o indivíduo e sua realização pessoal. O hedonismo exalta o prazer e o “direito” de orientar a vida pela busca a qualquer preço da felicidade.Muitas pessoas que sofrem em seus casamentos estão desnorteadas; focalizam mais sua dor que Cristo; preocupam-se mais com seu sofrimento do que em serem fiéis a Ele. Em parte é compreensível, porque quem sofre muito tende a perder a perspectiva sã e equilibrada. O problema aprofunda-se quando os pastores destas pessoas se perdem na dor delas também, apoiando-as na procura de sua felicidade através do divórcio. Essa procura da felicidade perde totalmente de vista as palavras de Jesus, quando disse: “Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim. Quem acha a sua vida a perderá, e quem perde a sua vida por minha causa a encontrará” (Mt 10.38, 39).
Precisamos lembrar que o sofrimento é parte natural do chamado cristão. Somos bem-aventurados quando insultados, perseguidos e caluniados por causa de Jesus (Mt 5.11). Paulo considerou tudo como lixo, como perda, como esterco para poder realmente conhecer a Cristo.


Ele resume sua visão, dizendo: “Quero conhecer Cristo, o poder da sua ressurreição e a participação em seus sofrimentos, tornando-me como ele em sua morte” (Fp 3.10). Deus e a Bíblia lidam seriamente com o assunto do sofrimento. Um livro inteiro da Bíblia é dedicado ao sofrimento injusto (Jó), os Salmos expressam com muita honestidade a dor e sofrimento do salmista; 1 Pedro foi escrito especificamente para crentes que sofrem nas mais diversas situações (na sociedade, no emprego e no casamento). Pedro ressalta que Jesus é nosso exemplo de como enfrentar o sofrimento e que devemos andar em Seus passos (1 Pe 2.21).Todos sofremos, crentes e não-crentes, doenças, problemas financeiros, morte de alguém querido, assalto, casamento difícil... Como o cristão responde a esse sofrimento pode ou não refletir a glória de Deus e o exemplo de nosso Senhor e Salvador. Caráter forma-se na fornalha. Paulo considera que “os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada” (Rm 8.18). Conheço poucas pessoas que têm sofrido fisicamente tanto quanto minha filha, Karis, que, com uma doença crônica, passou grande parte de sua vida com dor, internada em hospitais e diversas vezes desenganada pelos médicos. Mas a glória de Deus que vejo nela me emociona. Quem sofre no casamento tem um convite para esse caminho de glória. Há também a opção de fugir desse caminho estreito, trocando a glória de Deus por sua própria felicidade. Lembremos: felicidade e alegria não são sinônimos. Felicidade é circunstancial, afetada por muitas coisas, como desemprego, dor, conflitos e adversidade. Alegria é um fruto contínuo do Espírito (Gl 5.22, 23) e uma expressão fundamental do reino de Deus (Rm 14.7).
Saber a diferença e viver nessa alegria não é algo automático; é um aprendizado. Paulo aprendeu a adaptar-se e contentar-se em “toda e qualquer circunstância” através da graça de Deus que o fortalecia (Fp 4.11-13). Deus quer que tenhamos uma alegria que não dependa do nosso cônjuge.

http://www.lideranca.org/mapi-sepal.htm
Tema: Sua família NÃO é um caso difícil demais para Deus

Tema: Sua família NÃO é um caso difícil demais para Deus



Tema:Sua família NÃO é um caso perdido ou difícil demais para Deus: Ele quer e vai restaurar o seu casamento
Restauração Familiar 
(Gênesis 37:4-11, 47:1-4 e 12-13; Atos 16:31)

A promessa do Senhor é que a benção que está sobre nós se este
nderá sobre as nossas famílias. A obra iniciada em nós se estenderá sobre os nossos amados, e a restauração completa se estabelecerá sobre os nossos lares. O plano original de Deus para o homem era uma família, pois não era bom que ele estivesse só.

Um detalhe interessante na criação é que Deus só descansou após ter criado Eva e completado a visão de família. O intento do diabo desde o início é roubar e distorcer a verdade de Deus para as nossas vidas. Por isso temos vivido um tempo onde grandes ataques têm se levantando contra a família. Casamentos destruídos, violência, abusos, vícios, adultério, são algumas situações que infelizmente tem se tornado comum em nossos dias, mas o Senhor colocará sobre nós a unção que despedaçará todo o jugo de destruição familiar.

A vida de José foi marcada por oposições e traições. Ele enfrentou uma série de dificuldades, pois Deus tinha um plano de salvação para sua família e para sua descendência. Debaixo de uma conduta irrepreensível, a despeito dos lugares e das circunstâncias, ele permaneceu firme até que Deus o restaurasse e o colocasse em honra, numa posição que foi fundamental para que os seus amados fossem livres da fome que assolava Canaã.

Seguindo o exemplo de conduta de José, nós também seremos uma grande benção para as nossas famílias e para todos os que estão a nossa volta.

O EXEMPLO DE JOSÉ
1. Enfrentar a oposição familiar sabendo que a nossa luta não é contra a carne "E viram-no de longe e, antes que chegasse a eles, conspiraram contra ele para o matarem. E disseram um ao outro: Eis lá vem o sonhador-mor! Vinde, pois, agora, e matemo-lo, e lancemo-lo numa destas covas, e diremos: Uma fera o comeu; e veremos que será dos seus sonhos." – Gn 37:18 a 20

José enfrentou uma oposição dentro do seu lar que quase o levou a morte. Seus irmãos não aceitavam aquilo que os seus sonhos declaravam, ou seja, que eles um dia viriam a se curvar diante dele. Muitos de nós temos passado por grandes perseguições dentro dos nossos lares, seja pelos nossos pais, irmãos, esposos ou esposas. O próprio Jesus já havia previsto isto: "Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe, e entre a nora e sua sogra. Assim os inimigos do homem serão os da sua própria casa." – Mt 10:34-36.

Eles ainda não compreendem que os sonhos que temos para o nosso lar não são para nossa exaltação, mas que Deus quer nos usar como instrumentos de salvação e benção para nossa família. Nossa luta não é contra a carne. Não adianta tentarmos vencer com palavras ou discussões. Mesmo diante das perseguições devemos perseverar crendo, pois no tempo do Senhor aqueles que nos perseguiam e queriam matar os nossos sonhos, serão aqueles que receberão o livramento através de nossas vidas, assim como foi com José.

2. Enfrentar o tempo de servidão crendo que é temporário, e que serve de habilitação para o resgate de nossa casa Gn 39:1-5 - "E José foi levado ao Egito, e Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda, homem egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado lá. E o Senhor estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu Senhor egípcio. Vendo, pois, o seu Senhor que o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o Senhor prosperava em sua mão, José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha. E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do Senhor foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo."

Logo após ser traído por seus irmãos, José foi vendido como escravo. Ali começava um tempo muito difícil em sua vida: o tempo da servidão. Aqueles que o vissem nessa condição, sabendo dos sonhos que ele havia tido, poderiam dizer: "E agora? Será que os teus pais e irmãos se curvarão diante de um escravo? Será que você será instrumento de salvação para tua casa? Veja a condição em que você se encontra: escravo em uma terra estranha". Talvez seja isso que temos ouvido dentro dos nossos lares:"Você agora virou crente, mas continua desempregado?"; "Você precisa ajudar em casa senão vai ter que se virar sozinho"; "Você só pensa nessa história de igreja, e tua vida profissional? E teus estudos?". Talvez nossa condição atual seja totalmente incoerente com o que temos sonhado, mas a Palavra do Senhor não volta vazia e não volta atrás, pois Ele tem um grande livramento para tua vida. Batalhe e trabalhe muito mais do que antes, honre teu patrão, busque se aperfeiçoar e crescer, e saiba que assim como José você vai ser próspero mesmo em meio a servidão, e teus familiares e todos os que te cercam serão abençoados através da tua vida.

3. Enfrentar as injustiças e calúnias, pois a despeito das prisões de hoje, Deus tem o restabelecer da nossa honra – Gn 39:7-23 José passou por mais um momento muito difícil em sua vida, sendo acusado de tentar violentar a esposa de seu Senhor. É muito difícil ser injustiçado, pois sermos acusados de algo que não fizemos gera em nós um sentimento de revolta. Quando dizem algo de nós que não corresponde a verdade há um anseio natural por esclarecer a situação o mais rápido possível. O que vemos na vida de José é que em primeiro lugar ele fugiu do pecado, pois sabia que aquela brecha poderia ser fatal para o seu futuro e o de seus familiares. Assim também temos que fugir das tentações para que possamos ser um bom testemunho para aqueles que nos cercam. Em segundo lugar ele se manteve fiel ao Senhor, sem revolta, mas em paz, pois mesmo na prisão ele prosperou.

Uma das armas do inimigo é a acusação, e é muito comum que ouçamos acusações de nossos familiares, de nossos amigos que não conhecem a Jesus: Você é cristão, mas ainda faz isso? Você vai a igreja todo o dia e tem essa reação? É muito comum que estas pessoas esperem exatamente uma falha nossa para justificar a sua rejeição a Palavra. Por isso é tempo de buscarmos do Senhor a libertação para todas as áreas que ainda nos prendem e termos uma conduta irrepreensível, para que sejamos sal e luz em nossos lares.

O PROCESSO DE RESTAURAÇÃO

O Senhor tinha algo muito especial preparado para José. Temos nele um exemplo de fidelidade e esperança, pois mesmo em meio a tamanhas dificuldades, ele não se deixou abater, mas permaneceu firme, sabendo que quem lhe havia feito a promessa é fiel. Depois de um tempo de aflições, aproximadamente 13 anos, finalmente inicia-se em sua vida um maravilhoso processo de Deus:

1. Viver a restauração plena dos relacionamentos – Gn. 41:14,38-44
O nosso Deus é um Deus de restauração. Para tudo aquilo que o inimigo imaginava ter tirado ou destruído na vida de José, o Senhor já havia preparado uma grande reconstrução, pois um lugar de honra estava preparado para ele. Assim também Ele vai te levantar de uma forma nova, restaurado, e vai te colocar num lugar de honra, numa posição que vai te habilitar para que você seja instrumento de libertação e salvação para os teus amados.

2. Viver a liberação total dos sentimentos familiares através do perdão, esquecendo as mágoas do passado – Gn. 50:15-21
Apesar de todo o mal que seus irmãos intentaram contra ele, José os perdoou e os abençoou. Da mesma forma, temos que entender que aqueles que têm nos afrontado e perseguido virão a nossa presença para nos pedirem perdão. As pessoas podem até falar mal, nos caluniar e intentar o mal contra nós, mas na hora da aflição elas virão nos procurar. Temos que ter em nossos corações o mesmo sentimento de José, para não deixarmos que nenhuma mágoa permaneça em nossos corações, pois devemos entender a fraqueza daqueles que nos tem afrontado, pois estes não entendem as coisas espirituais e agem ainda segundo os padrões naturais.

3. Viver a benção de Abraão e contemplar a salvação dos nossos familiares – Gn. 45:5-11; 46:2-4
Deus tinha um grande e maravilhoso plano para o povo de Israel. As promessas feitas a Abraão seriam cumpridas a despeito de tudo. Por isso Ele na sua infinita sabedoria preparou a ida de José ao Egito, para que toda a família de Jacó e seus servos fossem salvos da fome que assolava a terra. Da mesma maneira seremos instrumentos de salvação, de provisão e libertação para todos aqueles que nos cercam nos posicionando como José, permanecendo firmados nas promessas, pois a palavra de At. 16:31 se cumprirá em nossas vidas.

Por www.levandoapalavra.com
Tema: Um Casamento Desfeito e Restaurado

Tema: Um Casamento Desfeito e Restaurado



Um Casamento Desfeito e Restaurado

Oséias: Um Casamento Desfeito e Restaurado

Deus escolheu a história triste e sórdida deste profeta de coração partido, a fim de revelar o Seu coração e manifestar o Seu amor.
Decepcionado no Amor

A história de Oséias aconteceu na cidade de Samaria. Oséias encontrou, amou e mais tarde se casou com uma jovem mulher chamada Gômer. Gômer deve ter sido arrebatada por este homem de coração heróico, apaixonado como um poeta e zeloso como um santo. Ainda que Deus conhecesse bem o desenrolar desse relacionamento, deu sua permissão para que Oséias cassasse com Gômer. "...Disse, pois, o SENHOR a Oséias: Vai, toma uma mulher de prostituições e filhos de prostituição; porque a terra certamente se prostitui, desviando-se do SENHOR". (Oséias 1:2) A vida de qualquer homem é abençoada ou amaldiçoada conforme a mulher com quem se casa. Logo que Oséias encontrou Gômer, deve ter pensado que ela era tão pura como o lírio do vale do seu poema favorito - Cântico dos Cânticos de Salomão. Ele deve ter esperado que o seu futuro fosse repleto de bênçãos e alegria.Mas à medida em que se passavam os dias e ele ia conhecendo-a melhor, começou a ficar decepcionado.

Será que as pétalas de sua pureza já não haviam sido arrancadas e pisoteadas pelas paixões de homens vis e impuros antes do casamento? Será que Oséias estava ocupado demais para dar à sua jovem esposa a atenção de que ela necessitava? Talvez jamais venhamos a sabê-lo. Sabemos apenas que o coração de Gômer se afastou do marido e que ela foi em busca do afeto de outros amantes.Oséias deve ter notado e sofrido com esse esfriamento da afeição da esposa. E não foi esse o único fardo colocado sobre o seu coração. Ele também via sua nação, a nação de Israel, afastando-se de Deus. Tinha havido uma série de vitórias militares sob o rei Joás, cujo filho Jeroboão II continuou o seu sucesso militar e prosperidade, ganhando para si um reinado de quarenta e um anos. Contudo o Rei Jeroboão afastou de Deus o coração do seu povo. "E fez o que era mau aos olhos do SENHOR; nunca se apartou de nenhum dos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, com que fez pecar Israel" (2 Reis 14:24).

Oséias pôde observar que sua nação, embora próspera, eventualmente iria cair vítima da máquina bélica da Assíria, a não ser que se arrependesse do seu pecado. Dia após dia, Oséias regressava ao lar com o fardo de uma nação decadente pesando em seu coração. Noite após noite, ele ficava acordado, a ponto de prejudicar-se, aguardando o regresso da esposa ao lar.Certamente ele deve ter orado e visto como era um homem piedoso, levou o seu fardo ao Senhor.
Filhos do Adultério
Foi então que Gômer deu à luz um bebê. Para Oséias isso seria uma renovação de esperança. Talvez quando ele segurou aquele menino nos braços, deve ter raciocinado: "Foi Deus quem o fez. Pois este garotinho tomará uma mão gorducha e a colocará ao redor do meu peito e com a outra enlaçará o coração de Gômer e manterá nossas vidas unidas"."E disse-lhe o SENHOR: Põe-lhe o nome de Jizreel; porque daqui a pouco visitarei o sangue de Jizreel sobre a casa de Jeú, e farei cessar o reino da casa de Israel" (Oséias 1:4).
Na língua hebraica "Jizreel" significa "se livrar de alguma coisa", deixar algo de lado. Era também o nome de uma cidade que havia desempenhado um papel trágico na história de Israel. A terrível apostasia sob o Rei Acabe e a Rainha Jezabel havia chegado a um desfecho ameaçador, quando a rainha foi atirada de uma janela do seu palácio e o seu corpo foi devorado por cães, nas ruas de Jizreel.Então quando Deus disse a Oséias que chamasse o seu filho de Jizreel, ele estava tornando o garoto e sua família, uma lição ilustrativa da relação de Deus com o seu povo. É como se hoje um pai judeu chamasse o filho de Dachau, ou Bergen-Belsen, nomes dos campos de horror de Hitler, onde milhões de judeus foram massacrados durante a II Guerra Mundial. Esses nomes, soando aos ouvidos de um judeu hoje em dia, iriam arrancar do cemitério das memórias, fantasmas dos dias passados.Desse modo, Jizreel era um lembrete a Israel do relacionamento de Deus com o seu povo.

Cada vez que Oséias chamasse o seu filho para brincar, cada vez que o chamasse no mercado, esse nome iria soar aos ouvidos de um judeu piedoso como uma nefasta lembrança de que no passado Deus havia sido fiel para lidar com o pecado da nação. Contudo, apesar do filho pequeno, Gômer não mudou. "E tornou ela a conceber, e deu à luz uma filha. E Deus disse: Põe-lhe o nome de Lo-Ruama; porque eu não tornarei mais a compadecer-me da casa de Israel, mas tudo lhe tirarei" (Oséias 1:6). Este nome significa "desgraça" ou "sem misericórdia". Depois que Lo-Ruama foi desmamada, Gômer gerou uma terceira criança - o segundo filho. Por ordem de Deus este foi chamado Lo-Ami.Esses três nomes dos filhos de Oséias significam duas coisas.
Primeiro, eles nos dão um esboço do que iria acontecer à nação de Israel. Segundo, eles nos dão um relance quanto ao que iria acontecer com a família do profeta. Pois este terceiro nome Lo-Ami, significa não meu povo. Mostram que em sua amargura e sofrimento de coração, Oséias foi dominado por uma suspeita que se tornou uma certeza condenatória de que essas crianças geradas em seu lar não eram de modo algum seus filhos!
Indo atrás de uma Esposa Infiel
Muito embora Gômer vivesse em adultério, Oséias não quis divorciar-se dela. O que aconteceu depois pode ser avaliado, conforme a mensagem de Deus dada por Oséias ao seu povo no Capítulo 2. Parece que Gômer o abandonou. Quem sabe ela deixou um bilhete pregado na porta, dizendo-lhe que estaria indo embora para viver sua própria vida, deixando as crianças com Oséias, e que este não deveria ir atrás dela.
Então podemos visualizar o profeta, à noite, colocando na cama, seus filhos para dormir. Ele tem de ser pai e mãe ao mesmo tempo. Ele lhes dá o jantar frugal e escuta suas orações e depois fica velando até que adormeçam. Mas Oséias continua insone. Muito embora Gômer tenha abandonado o lar, não abandonou o seu coração. Provavelmente, quando Gômer abandonou Oséias, pensou que iria melhorar de vida. "Porque sua mãe se prostituiu; aquela que os concebeu houve-se torpemente, porque diz: Irei atrás de meus amantes, que me dão meu pão e a minha água, a minha lã e o meu linho, o meu óleo e as minhas bebidas" (Oséias 2:5). Talvez ela tivesse sido iludida por promessas de alimentos exóticos e roupas excitantes. Mas, como sempre acontece com as pessoas que trilham esse desastroso caminho, que a princípio parece conduzir às alturas, de repente muda e cai até às profundezas.

Todo esse tempo Oséias ficou observando a trilha degradante seguida pela esposa. Eventualmente parece que Gômer caiu nas mãos de um homem incapaz de prover suas necessidades básicas da vida. Mesmo sem o amor da esposa, Oséias deve ter decidido prover suas necessidades. Podemos imaginá-lo indo à casa do amante dela, apresentando-se e dizendo: "O senhor é o homem que está vivendo com Gômer, filha de Diblaim? O homem responde: "Bem, e se eu for?" Oséias diz: "Sou o marido dela". O homem fecha o punho e se prepara para a luta. Oséias diz: "Não, o senhor não entende. Veja, eu amo minha esposa. Amo-a profundamente e gostaria de saber se o senhor receberia um pouco do meu ouro e da minha prata para comprar as coisas de que ela precisa". O homem olha espantado o profeta. Contudo, ao ver a prata na palma de sua mão, ele pensa: "não existe um tolo maior do que um velho tolo", e concorda com a proposta do profeta.Vocês me diriam: "Não é lógico um homem pagar em sonante prata e ouro pela manutenção de uma mulher que foi falsa com ele". E concordo plenamente.
Mas o caso é que, conforme se vê, Oséias não está agindo pela lógica. Está agindo por amor! "O coração tem razões que a própria razão desconhece" (Blaise Pascal). Pois o amor é de Deus e é infinito. "Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus" (1 João 4:7). Oséias está desempenhando com Gômer o papel que Deus tem desempenhado com você e comigo, durante toda a nossa vida.Vejamos então este libidinoso crápula, voltando para casa. Seus braços estão cheios de coisas compradas com o dinheiro de Oséias. Gômer sai da cabana, vê o amante com os braços cheios de provisões e se atira sobre ele enlaçando-o e agradecendo pelo que ele fez.Em algum lugar por trás das sombras, vemos Oséias. Ele tem uma rápida visão de Gômer e esta lhe enche o coração.

Ele vê quando Gômer extravasa o seu afeto pelo sensual amante, agradecendo as coisas que o amor do marido lhe proveu. Em lágrimas Oséias diz: "Ela, pois, não reconhece que eu lhe dei o grão, e o mosto, e o azeite, e que lhe multipliquei a prata e o ouro, que eles usaram para Baal" (Oséias 2:8).Antes de se zangar com uma mulher como Gômer, gostaria de lembrar-lhe que você e eu temos feito exatamente isso com Deus. É de Sua mão que recebemos o dom da vida. Dele temos recebido o alimento para nossas mesas e as vestes para nossos corpos. Contudo, quão depressa agradecemos a todos e a tudo, exceto a Deus, que no-los deu. Agradecemos aos amigos, ao governo, agradecemos o nosso vigor físico, a tudo e a todos, exceto a Deus, de quem provêm as bênçãos.
Redimindo a Rebelde
Em Oséias 2:9-23, Deus anuncia o seu plano de dupla face, no sentido de ganhar de volta o seu povo. Primeiro ele diz que lhe trará dureza, privando-o de todos as boas coisas da vida: "Portanto tornarei a tirar o meu grão a seu tempo e o meu mosto no seu tempo determinado; e arrebatarei a minha lã e o meu linho, com que cobriam a sua nudez" (Oséias 2:9).Em seguida, quando o seu povo cair na maior miséria, Deus começará a "cortejá-lo" novamente, procurando ganhar-lhe de volta os corações. "Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração" (Oséias 2:14). Tanto a justiça como o amor de Deus, fazem parte do seu plano. Nem a Sua justiça nem o Seu amor permitir-lhe-ão abandonar o seu povo.Será que Deus nos ama desse modo? Saltando das fontes escriturísticas, está a verdade de que Deus nos ama exatamente assim. Deus dá ao homem o metal da mina. Deus dá ao homem as árvores da floresta. Deus dá ao homem a destreza manual. O homem com a sua destreza derruba a árvore. O homem com a sua destreza extrai o metal da mina. Depois do metal extraído e da árvore cortada, o homem com a sua destreza pega essa árvore e faz dela uma cruz. Com sua destreza toma o metal e o transforma em pregos.Em seguida, Deus vem na Pessoa de Jesus Cristo e permite que os homens, com violência cruel, fixem os pregos em suas mãos. Então Ele morre naquela cruz por amor de cada homem que ali o colocou, pelas multidões que zombam ao pé da cruz, pelos soldados que cravaram os pregos em suas mãos.
Ele morre ali por eles e por nós, por você e eu, para que tenhamos os nossos pecados perdoados, a fim de obtermos vida eterna e possamos ir morar no céu, para todo o sempre.No Capítulo 3 descobrimos o último ato deste admirável drama da redenção. Não apenas Gômer caiu nas mãos de um homem incapaz de prover suas necessidades. Ela agora caiu nas mãos de um homem que não queria provê-las. Evidentemente, esse homem decide vendê-la como escrava.Nos dias em que esta história aconteceu, a escravidão era institucionalizada. Alguns historiadores contam que quando uma mulher era oferecida num leilão de escravos, ela era despida de suas vestes e forçada a permanecer de pé diante da multidão curiosa. Foi evidentemente para esse lugar que Gômer fora levada e para lá Oséias fora chamado.Vocês podem imaginar o cochicho da multidão e o comentário que ia de boca em boca, quando esta viu Oséias. As pessoas diziam: "Ele veio para observar o que ela merecia. Ele veio para observar o seu castigo".Então começa o pregão. Alguém oferece dez peças de prata, outro oferece doze. E Oséias diz: "dou quinze peças de prata". Alguém mais diz: "dou quinze peças de prata e um feixe de cevada". Oséias diz: "dou quinze peças de prata e um feixe e meio de cevada".

Soa o martelo e Oséias se apressa em redimir a esposa. "E comprei-a para mim por quinze peças de prata, e um ômer, e meio ômer de cevada" (Oséias 3:2).Enquanto a conduz para longe da multidão, o povo deve ter dito: "é um preço alto pago pela vingança. Por que não apenas deixou que ela fosse vendida como escrava? Por que pagar tanta prata por uma mulher que usou de falsidade?"Mas Oséias não comprou sua esposa a fim de puni-la, mas para redimi-la. "E ele lhe disse: Tu ficarás comigo muitos dias; não te prostituirás, nem serás de outro homem; assim também eu esperarei por ti" (Oséias 3:3). O que Oséias está sugerindo é : "o que você não faria de sua livre vontade, peço-lhe para fazer agora como uma possessão adquirida".Isso é o que depreendemos através de toda a Bíblia. Deus diz que nos ama e porque Ele nos redimiu, pede que O sirvamos.

O apóstolo Pedro disse aos que estavam sob os seus cuidados: "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo" (1 Pedro 1:18,19-a).O apóstolo Paulo escrevendo aos Coríntios, membros de uma igreja culpada de perversão sexual, disse-lhes: "Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus" (1 Coríntios 6:20).
Lições de Oséias
A primeira lição de Oséias é esta: se você fosse servir a Deus, de hoje até o dia de sua morte, ele não o amaria mais do que o ama agora. Porque Deus não o ama por causa do que você faz. Deus o ama apesar do que você faz. Somos supremamente amados e porque temos sido tão amados, retribuímos com adoração, serviço, amor e louvor.
A segunda lição talvez seja para homens e mulheres que absolutamente não conhecem a Deus e jamais colocaram sua confiança em Cristo. É uma lição para pessoas de corações partidos e lares desfeitos, com sonhos desfeitos e vidas destruídas. É uma lição para aqueles que das profundezas de suas almas clamam na escuridão da noite: "onde está Deus? Onde está Ele para que eu possa encontrá-Lo?"A resposta do livro de Oséias é: "Deus não está perdido, você é quem está" .Este é o Deus que foi à cruz do Calvário, e em busca dos homens, através do túnel de um túmulo vazio. Sempre e sempre Ele os procura para trazê-los de volta até Ele.Quando os homens gritam: "onde está Deus?" A resposta é sempre a mesma.Deus está aqui mesmo. Ele está esperando por você. Ele pede que você venha até Ele. Ele o espera para enlaçá-lo com o Seu amor. Ele o apressa a vir pela fé, a fim de conhecê-Lo e conhecer a significação do amor na verdadeira profundidade do seu coração.

Traduzido por Mary Schultze para OIKOS - Ministério Cristão de Apoio à Família
Tema:Disciplinados em amor

Tema:Disciplinados em amor



Tema:Disciplinados em amor


Provérbios 3: 11-12 “Filho meu, não rejeites a disciplina do SENHOR, nem te enfades da sua repreensão. Porque o SENHOR repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem”.

Uma vez que fomos vivifi
cados em Cristo, nós não estamos mais debaixo do peso e escravidão do pecado (Romanos 5: 20); todavia, nós não recebemos com isto, uma licença para pecar; pelo contrário, uma vez em Cristo, temos responsabilidades perante o Senhor (Romanos 6: 1-2, 12-13), a fim de vivermos em santidade (I Coríntios 6: 12-20).

1 - A disciplina é um ato do amor de Deus, e exclusivo à seus filhos.
Salmos 89: 30-33 “Se... desprezarem a minha lei... punirei com vara... e com açoites”
Salmos 119: 75 “com fidelidade me afligiu” Provérbios 13: 24 (O pai que ama ao filho, logo o disciplina, quando este erra) Hebreus 12: 4-11 “o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe”

2 - Deus mesmo, se encarrega de disciplinar, corrigir e açoitar o homem.
Jó 5: 17 (19-24, 26) “Bem-aventurado é o homem a quem Deus disciplina” Provérbios 29: 1 (15, 17) (Quem rejeita a disciplina é quebrantado por Deus) I Coríntios 11: 31-32 “somos disciplinados... para não sermos condenados” Hebreus 10: 26-27 “se vivermos... em pecado... certa expectação horrível de juízo e fogo” I João 5: 16 “Há pecado para morte”

3 - Disciplinar, significa treinar, educar e corrigir; portanto, Deus nos treina e nos educa, corrigindo os nossos erros, quando por Ele somos disciplinados.
Salmos 94: 12-13 (Senhor) “tu repreendes, a quem ensinas” Salmos 119: 67, 71 (Passar por disciplina é um aprendizado) Provérbios 6: 23 “as repreensões da disciplina são... vida”
II Timóteo 3: 16-17 “a Escritura... é útil para o ensino... repreensão... correção... educação”

4 - Exemplos bíblicos de filhos de Deus que receberam a disciplina do Senhor.
Juízes 16: 1, 4, 30 (Sansão prostituiu e morreu) II Samuel 12: 7, 11-12 (Davi tomou a mulher de um homem e sofreu muito pela morte de seu filho) Mateus 26: 69-75 (Pedro negou a Jesus e depois chorou amargamente) Atos 5: 4-10 (Ananias e Safira mentiram para Deus e morreram)
I Coríntios 5: 5 (Alexandre e sua madrasta cometiam imoralidades e ele foi entregue à destruição)

O fato de sermos “disciplinados em amor” nos educa, para não vivermos uma vida de libertinagem (Gálatas 6: 7). Por isso, podemos dar graças a Deus quando somos disciplinados; pois, sabemos que Deus está cuidando de nossas vidas nos ensinando a viver uma vida santa (I João 2: 27).

Como Receber o Amor e o Perdão de Deus

Você já questionou alguma vez o perdão de Cristo? Caso positivo, tenho boas notícias para você. A morte de Cristo em seu lugar é a base para o seu perdão. Em vista da morte substitutiva de Cristo na cruz, o seu perdão não é simplesmente uma esperança. É um fato!
Cristo pagou o preço por todos os seus pecados, totalmente e de uma vez por todas. Se você é cristão, todos os seus pecados -passados, presentes e futuros- foram perdoados. Você não pode acrescentar nada ao que Cristo já fez a seu favor.

Súplicas, lágrimas, esforços pessoais e rituais religiosos não podem reconciliá-lo com Deus. Isto já foi feito no momento em que confessou os seus pecados e colocou a sua fé em Cristo como seu Salvador e Senhor.

Hebreus 10 proclama:
''Neste novo plano nós fomos perdoados e purificados por Cristo ao morrer por nós uma vez por todas. Pois por meio daquela oferta única Ele tornou perfeitos para sempre aos olhos de Deus todos quantos Ele está santificando. Ora, quando os pecados já foram perdoados e esquecidos uma vez para sempre, não há necessidade de oferecer mais sacrifícios para nos livrarmos deles.'' (Hebreus 10:10,14,18 BV).

Para receber o perdão de Deus, simplesmente confesse o seu pecado e aceite o Seu perdão pela fé. Chamo este processo de "Respiração Espiritual". Assim como você inala e exala fisicamente, deve respirar também espiritualmente. Você exala espiritualmente quando confessa os seus pecados. A Bíblia promete que se você confessar os seus pecados a Deus, Ele é fiel e justo para perdoá-lo e purificá-lo de toda injustiça (1 João 1:9). Confessar seus pecados significa concordar com Deus sobre eles. A sua concordância é tríplice:

Primeiro, você concorda que os seus pecados são errados e entristecem a Deus. Deus é santo e não tem nada a ver com o pecado. Mesmo que Ele ame você, apesar de ter pecados inconfessos em sua vida, você deve considerar esses pecados tão seriamente quanto Ele, a fim de receber o Seu perdão. Se não reconhecer o seu pecado, não terá esperança de salvação. Provérbios 14.9 diz: "Os loucos zombam do pecado". João escreve: "Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós...Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso e a sua palavra não está em nós". (1 João 1:8,10).

Segundo, você reconhece que Deus já perdoou os seus pecados por meio da morte de Cristo e do Seu sangue derramado na cruz.
A confissão é, portanto, uma expressão de fé e um ato de obediência, que resulta em Deus tornando real em sua experiência o que Ele já fez por você mediante a morte do Seu Filho. Esta experiência real e contínua do perdão de Deus mantém você como um canal aberto, por meio do qual o amor e o poder divinos podem fluir.

O pecado inconfesso impede o fluxo do poder de Deus em sua vida. Permita-me ilustrar. Certo dia, quando eu operava os controles do trem elétrico de meu filho, ele parou repentinamente de andar. Eu não conseguia descobrir o defeito. Desmontei o trem e o montei novamente. Coloquei e tirei o plugue da tomada; nada aconteceu. Descobri então que uma pequena peça de metal -um sinal "Proibido virar à esquerda"- tinha caído sobre os trilhos, provocando um curto-circuito na energia elétrica.

A fim de manter uma vida cristã vitoriosa, você deve manter breves contatos com Deus. Quero dizer com isso que deve confessar qualquer pecado que entre na sua vida no momento em que o Espírito Santo revelá-lo a você. Ao recusar-se a confessar o seu pecado, você se torna carnal e anda na escuridão em vez de andar na luz do amor e perdão de Deus.

Terceiro, você se arrepende. Muda a sua atitude, o que resulta numa mudança no seu modo de agir. Mediante a força do Espírito Santo, você se afasta dos seus pecados e muda de comportamento. Em lugar de ceder à compulsão dos desejos da sua natureza mundana, carnal, você faz agora o que Deus quer no poder do Espírito Santo.

Ao confessar os seus pecados (exalar), você começa o processo da "Respiração Espiritual". Você se transforma de cristão carnal em cristão espiritual ao inalar, ou seja, ao apropriar-se da plenitude e poder do Espírito Santo pela fé. Muitas pessoas negam hoje a mancha do pecado em suas vidas. Outras tentam ignorar essa mancha dizendo, "Não é tão grande assim". Outras ainda, tentam desculpar a sua falha, afirmando, "Não sou pior do que os outros". E outros tantos tentam seus próprios métodos para vencer a sombra do pecado em suas vidas. Mas a única esperança de vencer o pecado é uma purificação sobrenatural, a purificação que só Deus pode realizar através do Seu Filho, o Senhor Jesus, que morreu e derramou o Seu sangue pelos nossos pecados.

O rei Davi conhecia muito bem o pecado.O Salmo 51 foi escrito depois que o profeta Natã informou Davi do juízo de Deus contra ele, por causa do seu adultério com Bate-Seba e do assassinato de Urias, marido dela. Davi, todavia, é descrito como um homem segundo o coração de Deus, porque se arrependeu. "Ó Deus, dá-me o perdão por causa do teu grande e fiel amor. Apaga a terrível mancha dos meus pecados pela tua misericórdia. Limpa-me completamente da minha culpa. Deixa-me limpo de pecados! Reconheço que pequei vergonhosamente..." (Salmos 51:1-3, BV).

No Salmo 32 ele também expressa a alegria que sentiu com o amor e perdão de Deus:
''Como é feliz o homem que tem as suas desobediências perdoadas e seus pecados cobertos! Como é feliz o homem cujos pecados Deus apagou e está livre de más intenções em seu coração!
Eu tentei, por algum tempo, esconder de mim mesmo o meu pecado. O resultado foi que fiquei muito fraco, gemendo de dor e aflição o dia inteiro. De dia e de noite sentia a mão de Deus pesando sobre mim, fazendo com as minhas forças o que a seca faz com um pequeno riacho. O sofrimento continuou até que admiti minha culpa e confessei a Ti o meu pecado. Pensei comigo mesmo: Confessarei ao Senhor que desobedeci às suas leis. Quando confessei, Tu perdoaste meu terrível pecado.'' (Salmos 32:1-5, BV).

Do íntimo de sua experiência, Davi compartilha esta admoestação com toda a sinceridade: "Quem confia no Senhor sempre confessa seus pecados a Ele, enquanto há tempo de ser perdoado. Quando Deus mandar seus castigos, quem confia nEle não será atingido". (Salmos 32:6, BV). Fico pensando em milhares de cristãos que estão sendo disciplinados por Deus por não confessarem os seus pecados. Eles têm revezes financeiros, enfermidades físicas e todo tipo de dificuldades; tudo por serem desobedientes a Deus, o qual tenta chamar sua atenção para poder abençoar e enriquecer suas vidas.

Incentivo você a fazer o que eu faço quando passo por dificuldades; volte-se para o Senhor e pergunte, "Senhor, há algum pecado em minha vida que torne necessário sua disciplina?" As Escrituras dizem que Deus disciplina aqueles a quem ama (Hebreus 12:6). Quando tiver dificuldades, é importante olhar no espelho da Palavra de Deus e confessar qualquer pecado que Ele revele.

A purificação dos pecados que prejudicam você, feita por Deus, irá abrir a porta para a vida abundante e satisfatória para a qual Jesus o chamou.
Pela fé, você pode simplesmente reivindicar como verdade o que Jesus Cristo disse e fez a seu favor. Pela fé, pode ver-se como Deus o vê, como Seu filho amado, perdoado e purificado. Pela fé, pode confessar seus pecados e arrepender-se. E, pela fé, pode aceitar o perdão e a purificação de Deus.

Talvez você fique pensando, "Se Cristo já pagou o preço pelos meus pecados, por que devo confessá-los?" Ao confessar seu pecado você age com base na sua fé em Deus e na Sua Palavra. A confissão não lhe dá mais perdão. Cristo já perdoou você de uma vez por todas. Mas, ao admitir seus pecados, você estabelece na sua experiência o que Deus fez por você por meio da morte do Seu Filho.

Jesus contou uma história para ilustrar a confissão e o perdão de Deus. Pela insistência do filho mais novo, o pai deu ao rapaz sua parte na herança da família. O filho saiu de casa e gastou toda a herança com festas e prostitutas. Mais tarde, o filho voltou sem nada para casa, faminto e sentindo que não era mais digno de ser considerado filho. Mas o pai correu ao encontro dele, abraçou-o e beijou-o; colocou um anel em seu dedo, sapatos nos pés e deu um banquete em sua honra.

Por meio desta paráboloa, Jesus estava ensinando que Deus ama você não "quando", "se" ou "porque" você merece, mas até quando é desobediente e rebelde. Uma de minhas descobertas mais comoventes no estudo das Escrituras foi uma declaração feita por Jesus numa oração registrada em João 17:22,23:
''Eu dei a eles a glória que o Senhor Me deu: a de serem um, como Nós somos. Eu neles e o Senhor em Mim, para que todos sejam perfeitos; para que o mundo saiba que o Senhor Me enviou, e compreenda que o Senhor ama meus discípulos tanto quanto Me ama.''

Pense nisso! Deus ama você tanto quanto ama Seu Filho Unigênito, o Senhor Jesus Cristo. Pode crer nisso. Quando você confessa seus pecados, em Seu amor incondicional, Deus o recebe de volta e o perdoa com alegria. Em vez de fugir dEle com medo, você pode correr para os Seus braços amorosos, confiante em que Ele irá perdoá-lo.

Se, porém, se recusar a tratar corretamente com Deus, ignorando os seus pecados, você se torna carnal e começa a viver nas trevas em vez de andar na luz de Deus. Lemos em 1 João 1:6,7:
"Se dissermos que mantemos comunhão com ele, e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.'' (BV).

Talvez você tenha conhecimento de pecados que não confessou a Deus e, como resultado, perdeu seu primeiro amor por Ele. Talvez sinta ressentimento em relação a alguém. O seu relacionamento com Cristo pode parecer mecânico e rotineiro. As suas orações não parecem alcançar a Deus. Você lê a Bíblia mas não se lembra do que leu. Pode até tentar testemunhar por Cristo, mas ninguém responde.

Certo dia eu conversava com um amigo no telefone celular instalado num carro. Em certo ponto da nossa conversa, tudo o que eu ouvia eram ruídos provocados pela estática. Alguma obstrução interrompera o sinal de rádio e perdi grande parte das palavras de meu amigo. Depois do carro ter passado pelo obstáculo, pude ouvir novamente a voz dele com clareza e continuamos a conversa.

O pecado obstrui sua comunicação e seu relacionamento com Deus. Quando você tolera o pecado em sua vida, não pode ouvir a Deus. Você fica desanimado e confuso. Em breve, pode achar-se vivendo apenas com as suas memórias de Deus em vez de ter uma interação viva e vital com Ele.
Tudo o que você precisa fazer para experimentar o perdão divino é confessar os seus pecados, ou seja, exalar espiritualmente. Esse sopro purificador restaura a sua comunhão com Ele.
Realize um de nossos seminários em sua igreja

Realize um de nossos seminários em sua igreja



Realize um de nossos seminários em sua igreja


Pr. Zaqueu & Pra. Marlene
SEMINÁRIO PARA CASAIS
1. Harmonia No Lar.
2. Batalha Espiritual da Família.
3. Criação de Filhos.
4. Ajuste Sexual.
5. Finanças do Casal.
6. PERDÃO.
7. Casais Grávidos
8.Dependência de Deus no Casamento
9. Harmonia conjugal
9. Evitando Brigas
10.Orçamento Doméstico
11. As Cinco Linguagens do Amor
12.Perdão
zaqueumarlene@gmail.com
http://ministeriodecasaisamovc.blogspot.com.br/
segue o link do video do you tube
http://www.youtube.com/watch?v=DKyIZg0c2gU&feature=youtu.be
Tema: Como lutar pela restauração do meu casamento?

Tema: Como lutar pela restauração do meu casamento?




Tema: Como lutar pela restauração do meu casamento?

Existem publicadas diversas matérias, palestras e ministrações incentivando e estimulando as pessoas a lutarem por seus casamentos. No entanto, estes mesmos artigos pouco esclarecem sobre o qu
e na prática deve ser feito. Aí surgem inúmeras perguntas sem respostas.
Talvez você também já tenha se perguntado O QUE FAZER?


Vamos conversar sobre algumas possibilidades e você analisa quais se encaixam com a sua fé:

- Em primeiro lugar é preciso reconhecer que pelas suas forças e sabedoria humana você não tem condições de vencer o mal que sobreveio sobre seu casamento, afinal, se você pudesse resolver tudo sozinho ou se suas estratégias fossem boas vocês não teriam chegado onde chegaram;

- Isso não significa admitir que é fracassado, mas admitir que Deus sabe mais do que cada um de nós e seguindo a orientação Dele é impossível não conquistar a vitória;

- Reconhecer e aceitar que você necessita de Deus e buscar ajuda Dele para realmente vencer esta batalha;

Colocando a fé em ação:

- Se você não pertence a nenhuma igreja é hora de procurar e estar debaixo de uma cobertura espiritual para receber palavra, apoio e orientação para lutar contra o mal que quer destruir sua família;

- Se você já serve a Jesus, Glória a Deus!. Procure na sua igreja pessoas que enfrentaram problemas semelhantes e já venceram para que te ajudem nesta caminhada;

- Se na sua igreja as pessoas são motivadas a se conformar e esperar para ver se um dia Deus faz alguma coisa e nada acontece isso é um problema sério.
Como você pode esperar por um milagre num lugar onde milagres não acontecem? Como você pode crer que Deus cura se há pessoas há anos com os mesmos problemas? Como você pode crer que Deus restaura um casamento se há casais que chegaram na igreja com problemas e continuam com mesmos problemas e às vezes até piores?

- Existem milhares de pessoas enchendo os bancos das igrejas vivendo os mesmos problemas há anos. Há aqueles que são os responsáveis porque não fazem nada, buscam pela mudança do outro e esquecem que eles precisam também de transformação. São visitantes há anos, e por outro lado há igrejas que fazem muito barulho mas nada acontece na vida de ninguém;

- Procure servir a Deus num lugar onde realmente a palavra Dele seja pregada e se cumpra. Se Deus diz que cura, transforma e até ressuscita mortos e você diz que o serve então sua vida deve refletir isso e os milagres precisam acontecer.

Usando a fé inteligente:

- Quantas palavras e ministrações você já ouviu? Quantas realmente colocou em prática?

- Muitas vezes as pessoas ouvem o que devem fazer, mas não fazem. Colocam obstáculos e impedimentos e aí não vivem a promessa;

- Seja sábio (a). Não busque orientação de alguém ou de um pastor se você não está interessado em obedecer. Pois uma vez que você sabe o que deve fazer e não faz, ou faz ao contrário, será você mesmo que terá que conviver com as conseqüências da dureza e rebeldia do seu coração;

- Oração e jejum são as armas do filho de Deus para lutar contra o inimigo, então se coloque na presença Dele e o busque incessantemente até receber a resposta;

- Não desanime. A guerra não é fácil, mas fica pior se você se recusar a lutar. Só alcança vitória quem luta, não quem fica se recusando a entrar na luta;

- Não deixe a ansiedade tomar conta do seu coração. Não se precipite também;

- Famílias restauradas são formadas em primeiro lugar por pessoas curadas, então quando enfrentar por uma crise, não esperneie como uma criança dizendo que Deus é o culpado. Olhe para a sua vida e veja como você contribuiu para esta situação e como pode cooperar com Deus e também ser curado. Assim como você não pode fazer a parte Dele, Deus também não fará a sua parte;

- Lembre-se: : Não importa ter roupa de soldado, aparência de soldado e falar como soldado se na hora da luta você recua. Não adianta dizer que serve a Deus, e na hora das adversidades se voltar contra Ele ou contra as pessoas. Nossa revolta deve ser contra os problemas não contra Deus ou as pessoas.

Deus é contigo e Ele é sempre maior que o problema.

Creia Deus pode e vai restaurar seu casamento.
Tema: PALESTRAS DO ENCONTRO DE CASAIS

Tema: PALESTRAS DO ENCONTRO DE CASAIS




Tema: PALESTRAS DO ENCONTRO DE CASAIS

I - COMPREENDENDO A ARTE DA COMUNICAÇÃO
Canal Desobstruído
Perdão 
O perdão deve estar no centro de nossa vida.
Perdoar é um mandamento de Deus – Mt 6:14-15
Perdão é um ato da vontade e não um sentimento
Aplicando o perdão.
Comunicação Tópica e Relacional
Outra grande obstrução do canal da comunicação no casamento consiste em perdermos o real significado de nossas palavras ou atitudes por não reconhecermos o nível da comunicação empregado.

II – APRENDENDO A LIDAR COM AS DIFERENÇAS
SOMOS DIFERENTES, PESSOAS ÚNICAS;
SOMOS DIFERENTES, HOMENS E MULHERES;
SOMOS DIFERENTES, TRAZEMOS, CADA UM, UMA BAGAGEM CULTURAL, FAMILIAR, SOCIAL E ECONÔMICA.
SOMOS, TODOS E CADA UM, PARTE DA MULTIFORME GRAÇA DE DEUS
BASE DO RELACIONAMENTO: CONHECIMENTO E RESPEITO.
CONHECIMENTO – PODEMOS APRENDER.
RESPEITO – APRENDAMOS A RESPEITAR.
APRENDAMOS OS PAPÉIS QUE DEUS NOS DEU COMO MARIDOS E ESPOSAS.
O padrão de Deus para os papéis - Gênesis 1:26, 2:22
Marido – Proteção tranqüilizadora – Efésios 5:25, 1 Pedro 3:7
Esposa – Auxiliadora – Gênesis 2:18, Provérbios 31:10-12
Marido – Líder – 1ª Coríntios 11:3
Esposa – Apoiada – Efésios 5:22-24, 1 Pedro 3:1,2
Marido – Provedor – 1 Timóteo 5:8, Deuteronômio 6:6-9
Esposa Administradora – Provérbios 31: 13-27
Marido – Exemplo do coração de DEUS – Marcos 10:44, Mateus 6:14-15;
Esposa – Reflexo do Amor de DEUS – 1 João 4:19-21, João 13:35;
Marido – Alguém que ama e protege – Efésios 5:25-28, 1 Coríntios 7:3-5, Rt 3:9;
Esposa – Alguém que ama, Companheira – 1 Coríntios 7:35, Cantares 2:16.
Marido – Intercessor, Guerreiro (Tiago 4:7; 5:16).
Esposa – Intercessora, alguém que discerne – Efésios 6:18, 1
APRENDAMOS AGORA A LIDAR COM OS CONFLITOS;
SÃO INEVITÁVEIS, UMA VEZ QUE SOMOS DIFERENTES E HÁ DIVERGÊNCIA DE OPINIÕES;
COMO, ENTÃO, CHEGAR A UM ACORDO?
Acordo
Vejamos as diversas maneiras de se entrar em um acordo. Em quais vocês se encaixam?
Ausência de conflito
Opinião do especialista
Sobrevivência do mais forte
Manipulação
Razão X Emoção
Omissão
Porta Aberta e Porta Fechada
Nenhuma dessas é a maneira de DEUS de entrar em acordo – Tiago 4: 2-3
Acordo à maneira de DEUS – Mateus 18:19
Discernindo a vontade de Deus
PASSO 1 - Conhecer a Palavra de Deus para conhecermos a vontade de Deus.
Passo 2 – Oração – Buscando a vontade de Deus quando não se pode encontrar algo específico na Palavra de Deus.
Peçam juntos – Mateus 18:19
Compartilhem um com o outro o que o Senhor lhes tem falado – 1 Coríntios 14:33
Continuem orando se não receberam a mesma resposta – Lucas 11:10
Palavra e Oração – sempre juntas
2.4 – Marido declare que como casal não agirão sem haver acordo

III – CRESCENDO EM INTIMIDADE

Orando Juntos
Razões para orar juntos. Mateus 18: 19-20
Orientações para orar juntos
Vida Sexual
Aliança é a base para a verdadeira intimidade com Deus
Aliança é também a base para a verdadeira intimidade entre Marido e Esposa
A intimidade produz vida
Para que haja intimidade física é necessária pureza física
Passos a serem tomados para a cura das feridas.
Arrependa-se.
Perdoe.
Mantendo a vitória
Afaste da impureza e renova sua mente pela Palavra de Deus – Romanos 12:1,2.
Renove sua mente com a Palavra de Deus – 1ª Coríntios 2:16
Juntos, como marido e mulher protejam sua união sexual
Ministério de Uma só carne
Dar frutos e multiplicar-se – Gênesis 1:11, 12, 22, 28 e 29
As três estações – Isaías 37:30
Identificando qual estação estamos.
O Senhor tem um plano específico, um projeto para vocês como equipe de uma só carne e para seu casamento – Jeremias 29:11. Isso foi estabelecido no dia em que vocês se casaram.
A vontade de Deus é que seu casamento seja forte, de tal forma que possam alcançar outros em Seu nome. Deus tem uma tarefa para vocês em sua igreja local, na comunidade e em algum ministério.Nossa abordagem de intimidade sexual influencia nossos filhos
Tema:CARÁTER DE UM BOM CASAMENTO

Tema:CARÁTER DE UM BOM CASAMENTO



Tema:CARÁTER DE UM BOM CASAMENTO

Diz-se com freqüência que um bom casamento é uma "amostra do céu". O companheirismo de que um homem e uma mulher podem gozar em relação ao casamento é uma bênção imensa dada por nosso Criador (Gênesis 2:18-24).
Certamente, Deus destinou o casamento a ser benéfico e satisfatório para ambos, o esposo e a esposa. Infelizmente, muitos casais não descreveriam seus casamentos como "celestiais".
Estratégias Inaproveitáveis
O que podemos fazer para termos "bons casamentos"? Homens e mulheres têm tentado várias estratégias para assegurar casamentos bem sucedidos. Muitos têm raciocinado que o modo de ter um bom casamento é casar-se com a pessoa de melhor aparência possível. Conquanto não seja pecado ser fisicamente atraente, a aparência pessoal não é garantia de que uma pessoa será uma boa companheira.
O homem extremamente elegante ou a mulher impressionantemente bela com freqüência não dão bons esposos! Outros têm concluído que um casamento espetacular e uma lua-de-mel dispendiosa são o ponto de partida de um bom casamento.
Contudo, estas são coisas que não duram muito tempo e quando a grandiosidade da cerimônia e a emoção da lua-de-mel passam, é comum que o esposo e a esposa descubram que sua relação não é realmente muito boa. Ainda outros têm seguido a estratégia de acumular bens antes de casar ou, em alguns casos, de procurar uma pessoa rica com quem casar! Tal segurança financeira constituirá, pensam eles, o alicerce de um bom casamento. Algumas vezes parceiros em al relação assentada sobre a riqueza material pagarão quase tudo para escapar do casamento. O resultado de tais preparativos financeiros é que há mais bens a serem divididos quando o casal se divorcia.
Deverá ser notado que não há nada inerentemente pecaminoso em ser fisicamente atraente, ter um grande casamento e uma lua-de-mel agradabilíssima ou mesmo economizar dinheiro antes do casamento com a esperança de um padrão de vida mais alto. Cada uma destas coisas pode ser uma bênção para um casamento. Nenhuma destas coisas, contudo, resulta necessariamente em um bom casamento. Se desejamos relações satisfatórias, precisamos abandonar as soluções e valores de sabedoria humana e consultar o manual de casamento escrito por Aquele que criou o casamento no princípio. Na Bíblia podemos encontrar toda a informação que precisamos para construir casamentos bem sucedidos.
Instruções Divinas
As Escrituras ensinam que o casamento é destinado a durar até que um dos cônjuges morra (Romanos 7:1-3; Marcos 10:9). Se cada parceiro mantiver esta convicção, o casamento terá uma possibilidade maior de dar certo. Quando aparecem problemas (e sempre aparecem!), tanto o esposo como a esposa empenham-se em resolvê-los em vez de procurar escapar facilmente através do divórcio.
Quando Paulo escreveu sobre as responsabilidades dos cônjuges, ele observou que as esposas deveriam ser submissas a seus esposos (Efésios 5:22-24). Ele ordenou ainda mais que os esposos deveriam amar suas esposas (Efésios 5:25-29). Este amor (na língua grega, "agape") não é de puro sentimento ou mesmo a expressão de palavras vazias, mas é antes o resultado de uma escolha moral e expressa-se em ação.
Elcana, pai do profeta Samuel do Velho Testamento, evidentemente amava profundamente sua esposa Ana (1 Samuel 1:1-8). Ele expressou seu amor por ela através de sua generosidade. Além do mais, este tipo de amor busca o bem estar de outros independente do tratamento com que eles retribuem.
O apóstolo Paulo descreveu o caráter deste amor em 1 Coríntios 13:4-7. As responsabilidades de amor e submissão incluem outras específicas.Por exemplo, para amar sua esposa, o esposo tem que se comunicar com ela. Para procurar o melhor bem estar da esposa, ele precisa entender as necessidades e desejos dela.
Mais uma vez, observando o exemplo de Elcana e Ana, quando ela estava triste por causa de sua esterilidade e da provocação de sua rival, Elcana procurou descobrir a causa de sua angústia (1 Samuel 1:4-5, 8). Se o esposo comunica a razão para suas decisões, torna-se muito mais fácil para a esposa submeter-se.
Sem comunicação adequada entre cônjuges, é extremamente difícil, talvez impossível, ter-se um bom casamento. Comunicação franca entre esposo e esposa permite a cada um entender melhor o outro, evitando muitos desentendimentos. A participação nas opiniões, sonhos e temores através da comunicação permite uma intimidade que ajuda a unir o casal.
Honestidade
Todos os bons casamentos exigem honestidade e discrição de ambos. Tanto esposo como esposa deverão empenhar-se em sempre falar a verdade um ao outro (Efésios 4:25; Colossenses 3:9). Bons casamentos dependem da confiança e uma mentira descoberta destrói essa confiança.
A esposa que descobre que seu esposo mentiu para ela em um assunto imaginará que ele no futuro estará mentindo também sobre outros assuntos . . . mesmo que ele esteja falando a verdade. Infelizmente, aqueles que praticam o engano com freqüência acreditam arrogantemente que são muito inteligentes para "serem apanhados".
O mentiroso pode freqüentemente cobrir seu engano por algum tempo, mas as mentiras costumam ser descobertas. A esposa que esconde informação de seu esposo está também praticando o engano, uma forma de desonestidade. A suspeita que resulta quando o engano é descoberto ameaça a bela intimidade possível num casamento.
Discrição
Quando duas pessoas vivem juntas ainda que por curto período de tempo, elas podem aprender algumas coisas nada lisonjeiras sobre um e outro. Num bom casamento, o esposo não falará destas faltas de sua esposa com outros. Ele protegerá a reputação dela à vista dos outros, enquanto trabalhará para ajudá-la a melhorar nessas áreas. De modo semelhante, a esposa não discutirá as fraquezas de seu esposo com outras pessoas.
A prática de tal discrição encorajará maior intimidade na comunicação dentro do casamento. Cada parceiro sentir-se-á bem partilhando com o outro os pensamentos mais particulares porque ele ou ela sabe que estes pensamentos não serão revelados a outros.
Fidelidade Sexual
Poucas coisas destroem um casamento mais depressa do que a infidelidade sexual. Num bom casamento, cada parceiro tem não somente de se abster de atos abertos de impureza sexual, mas não deve dar ao outro causa para suspeita.
O esposo precisa evitar que seus olhos se fixem na direção de outras mulheres e a esposa tem que ser cuidadosa para que seu comportamento a respeito de outros homens seja puro (Mateus 5:27-28).
Respeito
O resumo feito por Paulo das responsabilidades do esposo e da esposa em Efésios 5:33 revela que a submissão da esposa envolve respeito ao seu esposo. Do mesmo modo, o esposo não deverá tratar sua esposa como inferior a ele porque ela voluntariamente aceitou uma posição de submissão (1 Pedro 3:7).
Em vez disso, ele deverá tratá-la com dignidade e consideração. Ele não deve diminuí-la nem tratá-la com aspereza ou amargura simplesmente porque Deus lhe deu autoridade na família (Colossenses 3:19).
Altruísmo
O egoísmo está na base de um número incrível de dificuldades matrimoniais. É extremamente difícil viver com alguém que sempre pensa só em si mesmo. Cuidar de uma criança é trabalho duro porque ela não tem consideração com as necessidades e desejos dos outros. Suas necessidades precisam ser satisfeitas imediatamente ou ela fará com que seus pais saibam de sua infelicidade por meio de gritos estridentes! Como adultos, já deveremos ter ultrapassado tal egoísmo, mas infelizmente alguns esposos agem bem dessa mesma maneira. Se as coisas não são feitas como lhes serve, eles ficam trombudos ou têm ataques de cólera, muito parecidos com os das crianças que não sabem de nada melhor. A mulher virtuosa de Provérbios 31 sacrificava-se, trabalhando para prover a sua casa (Provérbios 31:10-31). Cada cônjuge [amadurecido] deverá estar querendo pôr as necessidades e desejos do outro antes do seu próprio, se necessário (Filipenses 2:4; 1 Coríntios 13:5), e os que são infantis não deveriam casar-se!
Paciência
A paciência é o lubrificante que evita que o casamento se aqueça demais quando os problemas provocam atrito entre os parceiros. Uma falta de paciência, no mais das vezes, resulta em decisões insensatas ou irritação. Tiago deu bom conselho quando escreveu "Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus" (Tiago 1:19-20). A paciência é aquela qualidade que permite a uma pessoa suportar com calma serenidade uma situação que não é ideal ou desejável (longanimidade; Gálatas 5:22; Efésios 4:2; Colossenses 3:12).
A impaciência é quase sempre uma forma de egoísmo na qual nos tornamos furiosos porque as coisas não estão acontecendo do modo que queremos que aconteçam. Haverá muitas ocasiões durante um casamento nas quais as coisas não serão ideais!
Humildade
Algumas pessoas não querem admitir nenhuma falha. É inevitável que um cônjuge peque contra o outro. A humildade é a qualidade que permite-nos reconhecer nossa própria falibilidade, admitir nossas faltas e pedir perdão àqueles que tivermos maltratado. A pressuposição de que sempre sabemos o que é melhor ou que nunca cometemos nenhum erro é uma forma de arrogância. Tal arrogância é oposta ao amor (1 Coríntios 13:4). Num bom casamento, ambos os parceiros servirão um ao outro fazendo muitos pequenos favores.
A arrogância não permite a "atitude servil" (João 13:1-15). A humildade também ajuda a perdoar os outros que pecam contra nós, porque nos lembra que nós mesmos somos falíveis e freqüentemente necessitamos ser perdoados (Efésios 4:31-32; Colossenses 3:13). No decorrer de um casamento, haverá muitas oportunidades para perdoar seu cônjuge! Ofensas não perdoadas tendem a ser como feridas não curadas, inflamadas; elas afetam severamente a saúde da relação.
Quando alguém está procurando um bom companheiro ou simplesmente tentando melhorar uma relação conjugal existente, estes princípios ajudarão a assegurar um casamento bem sucedido. De fato, muitos desses traços característicos que promovem um casamento bem sucedido podem ser aplicados praticamente em qualquer relação humana para torná-la melhor!
Por Allen Dvorak
Tema: Milagre no casamento

Tema: Milagre no casamento



Tema: Milagre no casamento

João 2:1-11
A Bíblia narra um milagre extraordinário, operado por Jesus Cristo, nosso Senhor. É o relato de como um casamento foi tocado pelo poder de Deus, e de como o seu casamento poderá ser tocado também! Obs
ervemos o relato bíblico:
"Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, e estava ali a mãe de Jesus; e foi também convidado Jesus com seus discípulos para o casamento. E, tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm vinho. Respondeu-lhes Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Disse então sua mãe aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser. Ora, estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam duas ou três metretas. Ordenou-lhe Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima. Então lhes disse: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E eles o fizeram. Quando o mestre-sala provou a água tornada em vinho, não sabendo donde era, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água, chamou o mestre-sala ao noivo e lhe disse: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.
Assim deu Jesus início aos seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele." (Jo 2.:1-11).
Este foi o primeiro milagre que Jesus realizou, e não é em vão que tenha acontecido justamente num casamento! As Escrituras dão testemunho através disto, mostrando-nos que antes de Jesus realizar qualquer outro milagre de cura, libertação, etc. está interessado em agir nos casamentos.
A família tem prioridade no plano de Deus, pois Ele não a criou para o fracasso, e sim para ser bem sucedida. Percebemos também que o milagre ocorrido deu-se em torno de haver ou não VINHO, que na Bíblia é uma figura de alegria (Salmo 104:15). Nos casamentos, o que vemos e ouvimos é que o vinho sempre acaba. Pessoas que viviam embriagadas de amor pelo cônjuge, assistem perplexas seus sentimentos desaparecerem.
O matrimônio, de maneira geral está falido, pois o vinho sempre acaba. Mas quando Jesus está presente aí é que se estabelece a diferença! Milagres acontecem e ele traz vinho novo aonde já não mais existia.
Mas perceba que o milagre aconteceu porque Jesus estava lá. Ele e seus discípulos foram convidados para simplesmente estarem nas bodas; não receberam um chamado de última hora só porque os noivos precisavam de um milagre. Ele havia sido chamado para estar junto... E porque estava presente, operou o milagre! De maneira semelhante, se você quer um casamento que dure, que sobreviva à falta do vinho (alegria), convide o Senhor Jesus para estar presente.
Não espere a crise chegar, cultive sempre a presença dele por meio de oração e leitura da Sua Palavra, a Bíblia Sagrada. E não apenas leia, mas pratique a Palavra, pois o milagre acontece aonde há obediência; foi dito aos serventes que fizessem tudo o que Jesus mandasse, e porque fizeram sem questionar se era racional ou não, receberam o milagre.
Podemos observar ainda algumas figuras neste texto:
- O número 6 – Havia seis talhas.
Na Bíblia, este número sempre fala de algo que é humano. É chamado número de homem (Ap.13:18). Portanto, percebemos que o milagre não depende só de Deus, mas há uma participação e um fator humano ligado a este milagre no casamento.
- As talhas -
o significado espiritual destas talhas estão apontando para a parte que nos toca no que tange a receber o milagre de Deus.
O seis fala do homem, e aqui entendemos nossa participação no milagre. As talhas eram o recipiente para o vinho que o Senhor Jesus transformaria. Normalmente eram pedras talhadas, cavadas.
Isto sugere o quão duro somos no que tange aos relacionamentos e o quanto precisamos ser trabalhados por Deus em nossa forma de ser e agir no matrimônio. Quanto mais cavados nos deixamos ser pelo agir de Deus, maior será nosso potencial para receber o vinho. Uma pedra pouco cavada, comporta pouco vinho, mas uma pedra bem trabalhada comporta mais vinho!
- A água –
Era a matéria prima necessária para que o milagre pudesse acontecer. Não havia água nas talhas, Jesus foi quem mandou enchê-las. A água simboliza a Palavra e também o Espírito Santo.
Nos lares onde o vinho chega a acabar, e todo o prazer do relacionamento desaparece, temos percebido que além dos erros cometidos na esfera natural, havia também falta de água; não havia o cultivo diário da presença de Deus por sua Palavra (lida e praticada) e a presença viva de seu Espírito.
Creio ser esta a chave do milagre. É importante se deixar ser trabalhado (o que é diferente de ser manipulado pelo cônjuge) na forma de se relacionar, mas se estas talhas não forem cheias da presença de Deus o vinho não aparecerá!
Vale também ressaltar que quanto mais água aqueles servos colocassem nas talhas, mais vinho haveria; ou seja, o milagre de Deus em nosso casamento está diretamente relacionado com o investimento que fazemos em cultivar Sua presença.
- O Vinho –
O significado do vinho é ALEGRIA
Finalizando, quero chamar sua atenção para a qualidade do milagre. Jesus deu o que havia de melhor em matéria de vinho, a ponto de o mestre-sala se impressionar e comentar que normalmente se bebe o melhor vinho e, depois de o terem desfrutado, oferece-se o inferior.
Assim é com a maioria dos relacionamentos conjugais; bebem o melhor vinho nos primeiros anos, depois a qualidade cai e assim é até que acabe.
Mas quando Deus faz um milagre, o que se experimenta é algo inédito, muito superior a tudo o que já se experimentou até então. Deus nos dá o melhor, sempre!
Tenho visto isto no dia-a-dia dos casamentos que tenho acompanhado como pastor, portanto sei do que estou falando. Deixe Deus ser não apenas o Criador do matrimônio, mas aquele que oferece toda manutenção necessária. Quando isto acontece, não somente somos beneficiados com um lar melhor, mas Deus recebe glória.
O vinho dos lares cristãos deve ser o da mais alta qualidade...
Se você reconhece que o vinho acabou (ou está quase acabando) em seu matrimônio, creia na vontade de Deus de agir nos casamentos.
Renove o convite ao Senhor Jesus para estar em seu lar, pratique estes princípios espirituais e seja feliz como o Pai Celestial sempre quis que cada casal fosse!
Não desista dos seus sonhos!